Caça às ondas
Missão impossível no Pará
Por Denis Sarmanho em 05/02/12
Surfistas do Pará buscam as ondas de Ponta do Camaraçu (foto), trecho oriental do estado.
Ponta do Camaraçu possui as maiores ondas do Pará. Foto: Jader Paes.

Um bom swell é esperado no litoral do Pará neste primeiro final de semana de fevereiro.

Com isso, Alex Cavalcante, Jader Paes, Betinho Craveiro e André Campbell partiram na última sexta-feira com destino a Ponta do Camaraçu.

Localizado na parte mais oriental do estado, o pico é considerado pelos experts do surf paraense como o point das maiores ondas do Pará.

A Ponta do Camaraçu é um local extremamente remoto e habitado apenas em algumas épocas do ano por pescadores locais.

Suas ondas foram recentemente descobertas e desbravadas por Alex e um punhado de aventureiros surfistas de Belém no ano de 2010.

Confira na entrevista abaixo um breve relato de Alex sobre a empreitada.


Fale um pouco sobre o início de mais esta surf trip?


Iremos mais uma vez surfar vários picos do Pará localizados em um lugar de difícil acesso e muito distante de nossa capital, onde não há água potável, luz ou local para se hospedar, apenas ranchos de pesca.

Quanto tempo para desembarcar no pico?

Sairemos às 6 horas da manhã de Belém do Pará com destino a Augusto Corrêa, que fica há 216 km da capital. Mais ou menos três horas de carro e depois toda a equipe irá se deslocar para a ponta do Camaraçu de barco (fretado), e serão mais quatro horas de viagem, depois caminharemos por mais 30 a 40 minutos pelas dunas e pela praia até o local do acampamento.

Então são praticamente oito horas de viagem até o pico?

Sim, isso se a maré estiver a nosso favor, pois podemos pernoitar na Vila do Cupim e seguir viagem só pela manhã.

É um lugar bem distante e remoto do litoral paraense?

Sim, no local onde ficaremos só existe praias, dunas de areia e ondas, e alguns ranchos de pescadores que servem para o descanso dos mesmos quando estão pescando pela região. Para surfar aqui temos que trazer todas as provisões na viagem: água, alimentos, barracas para acampar e outros acessórios como panelas, pratos, lanterna, repelente, enfim tudo que formos precisar para ficar surfando em uma região deserta. Além de nossas pranchas, é claro.

É uma verdadeira aventura em um litoral pouco conhecido e explorado?

É verdade, tudo em busca das ondas. Esse é nosso objetivo e o nosso pensamento, vamos em busca de ondas selvagens e graças a Deus longe das construções e do lixo da civilização, que já prejudicaram inúmeros picos do nosso litoral, como o Atalaia, por exemplo.

A regra é simples, iremos trazer tudo que levarmos, inclusive o lixo produzido, eu irei pessoalmente fiscalizar essa operação, pois todos são surfistas e amantes da natureza.

E o kitesurf?

Fomos os primeiros a surfar neste pico e se tudo der certo seremos os primeiros também a surfar de kite na região, com isso poderemos descobrir novos fundos de ondas próximos de onde iremos ficar. Será mais um feito inédito de nossa equipe. Eu e o André Campbell seremos os primeiros surfistas a explorar o litoral de um outro ângulo, de kite.

A surf trip para a Ponta do Camaraçu conta com o apoio das Lojas Blue Touch e do site Craud.

Veja também
Só Delas Sicrupt

Só Delas Sicrupt

Fotos da barca

Só Delas Sicrupt

Só Delas Sicrupt

Surfe liga as meninas

Ilhas Maldivas

Ilhas Maldivas

Pacote ao paraíso

Swell de norte

Swell de norte

Alegrias do verão

Pecém

Pecém

Point desperta no Ceará

Portugal

Portugal

A rota do surfe

Estabelecimentos
Picos